Tecnologia

TECNOLOGIA SOCIAL: PRODUTORA CULTURAL COLABORATIVA

O que é?

Tecnologia Social que reúne boas práticas para organização e gestão de um espaço de inclusão social em um empreendimento solidário de produção cultural de forma legalizada.

Um espaço de inclusão social pode ser uma associação de moradores, um telecentro comunitário, um ponto de cultura, uma lan house, um espaço público subutilizado, ou qualquer espaço físico que possua energia elétrica, acesso a internet (desejável) e um ou mais computadores a disposição dos envolvidos.

A tecnologia social da Produtora Cultural Colaborativa foi certificada em 2015 pela Fundação Banco do Brasil e integra o Banco de Tecnologias Sociais da Instituição.

Para saber mais confira o vídeo a seguir:

 

Características

Uma produtora cultural colaborativa tem como características comuns o uso de tecnologias livres evitando a pirataria e o funcionamento ilegal da organização, a sinergia com a cultura popular do território dando visibilidade a abundância local, a criatividade para encontrar alternativas na carência de recursos financeiros ou materiais, o empreendedorismo para gerar renda aos participantes, a autogestão e o trabalho horizontal sem a lógica de patrão e empregado e o incentivo ao escambo e a economia solidária para acesso de quem não pode pagar para participar das suas atividades.

 

 

Áreas de Atuação

A atuação de cada produtora cultural colaborativa depende diretamente das pessoas envolvidas na organização, seus conhecimentos, disponibilidade de tempo para colaborar e equipamentos disponíveis. Por isso uma das metodologias iniciais para aplicação da tecnologia social por um conjunto de pessoas em um espaço de inclusão social é realizar um mapeamento entre os integrantes de seus conhecimentos, equipamentos que possui a disposição (ou precisa ter disponível) para desempenhar suas habilidades, suas experiências anteriores e o que habilidades e áreas do conhecimento tem vontade de aprender e vivenciar. Ao final do mapeamento o integrante responde seus contatos e disponibilidade de tempo (turnos e dias da semana) para estar online e/ou presente no espaço físico da produtora. Com essas informações se monta um mapa de saberes e disponibilidade de tempo para reuniões e planejar atividades coletivas

 

 

Ferramentas Livres

Qualquer solução livre de patentes que esteja disponível na internet em forma de conhecimento disponível sobre domínio público ou através das diferentes licenças copyleft (livres de cobrança do direito autoral) pode integrar um processo ou atividade de uma produtora cultural colaborativa. Estas ferramentas podem ser tecnologias físicas, aplicativos digitais, ideias, teorias, modelos acadêmicos e da sabedoria popular que oferecem insumos para atender demandas em diferentes áreas do conhecimento e viabilizam um uso social e legalizado (sem pirataria) destas alternativas.

Metodologias

Uma boa panela sem alguém que cozinhe não mata a fome de ninguém, por isso uma boa refeição depende de quem está na cozinha. Quem trabalha junto a muito tempo e cozinha em parceria t1odo dia tem entrosamento para jogar junto e já sabe decorado as receitas de cada prato, porém quando alguém novo entra no grupo precisa ter acesso as informações, entender os processos coletivos e acesso as receitas para poder contribuir de maneira efetiva no processo. Deste modo para cada atividade realizada a tecnologia social oferece um conjunto de boas práticas e ferramentas livres indicadas para desempenhar determinada atividade. Essas metodologias podem variar entre as organizações que implementam a tecnologia social, cada uma adaptando a sua realidade local, conhecimentos e tecnologias disponíveis. O diálogo entre produtoras culturais colaborativas e o intercâmbio de soluções criativas e boas práticas possibilita o aprimoramento, documentação e atualização destes métodos entre territórios. Atualmente existem metodologias relacionadas a Educação, Produção cultural e audiovisual, comunicação comunitária e digital, gestão social e em rede, economia solidária e geração de renda.

 

 

Rede Nacional

A motivação de organizações sociais interessadas em trocar boas práticas e tecnologias livres motivou a organização de uma rede de produtoras culturais colaborativas hoje presente em três regiões do pais em mais de 8 estados que adaptam estas ideias e implementam parcialmente ou totalmente esta tecnologia social através da oferta de produtos e serviços e articulando arranjos produtivos locais. Esta rede já organizou dois encontros nacionais (Chapada Diamantina – BA e Belém – PA) e encontros regionais no norte, sul e nordeste.

Mais informações: http://tecnologiasocial.fbb.org.br/tecnologiasocial/banco-de-tecnologias-sociais/pesquisar-tecnologias/detalhar-tecnologia-350.htm